∗ Canalizado por Domingos Yezzi, em 24/06/2003. Auxiliado por INK, líder do planeta ÁGA, 7º planeta do nosso Sistema Solar, ainda não descoberto pela Ciência.

Ninguém fica a espera da morte, apesar de saber que ela é um fato imutável para todo o ser vivente da Terra, porém, quando ela ocorre de surpresa e apanha o ser humano desprevenido, mesmo aquele que há muito tempo estava gravemente doente e a aguardava ansiosamente como se fosse uma solução para todos os males. Apanha de surpresa também seus familiares, em alguns casos, desejosos para que ela viesse e o levasse de vez, e assim, o sossego voltaria a reinar no seio de sua família. Pairava sempre aquela dúvida: “Não seria melhor que ele morresse?”.

Não raro, nos deparamos em nossas viagens astrais, fora do corpo físico, com pessoas prestes a se desencarnar, apenas ligadas ao Perispírito por um tênue fio magnético, também prestes a se romper ou a ser rompido pelas Entidades responsáveis por ela. Encontramos também com pessoas recém-desencarnadas, as quais em ambos os casos, atarantadas, perplexas, com seus pensamentos ligados, atados mesmo, ao físico que estão deixando ou que acabaram de deixar na Terra, e nos seus parentes que lá ficaram, nos seus negócios, nas suas propriedades, no seu dinheiro e nas possíveis dívidas e divisões de partilhas de seus bens, que agora ele sabe para quem deveria ter deixado ou não, culpando-se por não ter tomado as providências cabíveis antes de morrer, pois agora ele pressente em que encrenca de disputas e cobiças ele lançou seus familiares diretos, e está aflito mais ainda agora, que não sabe como se manifestar entre eles para dizer-lhes da sua última vontade ou dar as devidas soluções, só que agora não dá mais para fazê-lo, e nem tampouco ele sabe como fazer para induzir a um médium de “incorporação” ou de “intuição”, através do qual ele possa se manifestar e até a escrever suas vontades e seus pensamentos.

Entra em profunda depressão psíquica e é atraído para os locais de afinidade no Astral, para só muito tempo depois e aí já se terá passado o tempo para aquelas soluções e ele poder conseguir se manifestar entre os vivos. Nesse meio tempo, todos os seus descendentes que ficaram na Terra, estarão lançando contra ele os piores pensamentos, as mais variadas execrações e maldições, o que o deixarão mais prostrado e perturbado, sem descanso e nem paz, ficando como uma Alma penada molestando os seus antigos parentes e locais por onde morou.

Quando isso acontece, com o Espírito ainda dentro do corpo, pois não conseguiu seu desligamento natural, ele fica desesperado e não consegue se livrar da matéria inerte, que já começa a exalar o mau cheiro repugnante, de putrefação, e os micróbios começam os seus trabalhos, e ele, ainda consciente, sente e ouve tudo. Grita desesperadamente, mas ninguém o ouve. Já se encontra dentro da cova e mais desesperadamente pede socorro e enlouquece, para só depois de seu corpo estar desintegrado e o cordão prateado rompido ele poderá ser içado para os locais de tratamento no Astral.

Muitas vezes, devido a grande carga de toxina mental e física, causada pelas ações de maldade e negatividade quando em vida, esses tipos de pessoas, ficam ainda por muito tempo presas aos locais onde morreram naturalmente ou foram mortas e bem como, em suas sepulturas, até que as cargas tóxicas sejam drenadas para a terra ou sejam desintegradas a sua volta. Seus pensamentos são lancinantes e muitas vezes pensam que gostariam de estar no lugar de suas vítimas ou algozes, os quais, ele acha que devem ter sofrido menos, com os atos criminosos e de tortura que ele cometeu contra eles, do que o que ele está sofrendo naquele momento.

Ninguém, nem a mais Alta Entidade, o poderá ajudar enquanto aquela drenagem tóxica for feita, e isso só vai depender dele. Nem mesmo as Entidades afeitas aos primeiros socorros espirituais poderão se aproximar dele, pois elas dependem da liberação ou libertação espontânea do ser desencarnante, a fim de poderem agir na plenitude de seus desígnios o de suas missões; devem aguardar as descargas eletromagnéticas primárias, daquelas toxinas e da mente daquela pessoa sofredora. O mesmo acontece com os as pessoas recém-desencarnadas que ficam por um bom tempo rodopiando junto aos seus pertences, às suas coisas, às suas memórias e principalmente aos seus dramas de consciência negativa, que as prendem, imantando-as aos locais de suas vivências anteriores, sobre as pessoas, como “encostos”, tão vulgarmente descritos agora por credos e religiões, que antes não admitiam aos seus adeptos nem mencionarem o assunto. Essas pessoas sofredoras, pertençam a que tempo pertencerem, ou seja, podem ser antigas ou modernas, ficam assombrando as demais pessoas e locais, com práticas e ações incriminatórias.

Só após elas conseguirem elevar os seus pensamentos e pedirem perdão e de coração, demonstrarem seus arrependimentos, sentirem os erros que cometeram e tenham vontade férrea de consertá-los, o que resultará na produção de uma pequenina luz de suas mentes doentias e que poderá ser vista e detectada por aquelas Entidades que continuamente descem ao Astral e à Crosta em busca dessas criaturas para o devido tratamento espiritual.

Aqui vão alguns conselhos importantes para todos os seres vivos e que com certeza, desencarnarão um dia … Saiba mais